Quais as diferenças entre o Vidro Temperado e o Laminado?


Quando se fala em vidros para a construção civil, os temperados e os laminados estão entre os mais utilizados, sejam para divisórias, forros e pisos, como para revestimentos, guarda-corpos, entre outros. Estes produtos oferecem características técnicas adequadas que atendem uma grande gama de projetos.

Ambos os vidros podem ser utilizados para as mesmas situações acima. Então, qual a diferença entre o temperado e o laminado?

Para cada caso há um tipo mais adequado de vidro. No entanto, os dois são considerados vidros de segurança e qualidades parecidas.

O vidro temperado é considerado de segurança por apresentar alta resistência a impactos, por isso é utilizado em divisórias, vitrines, fachadas, portas, etc. Ele é produzido a partir do vidro comum, é colocado em um forno a 700º, para enrijecer a sua estrutura. Porém, há algumas desvantagens:

  • Peças não podem ser furadas, nem cortadas após o processo de têmpera. Se houverem medidas milimetricamente erradas, a peça inteira será perdida;
  • Pouca flexibilidade em comparação ao vidro normal ou laminado;
  • Risco de estilhaçamento;
  • Pouco indicado para ser utilizado como suporte;
  • Qualquer dano pode provocar estilhaçamento total da peça.

O vidro laminado tem um processo de fabricação bem diferente do temperado. Neste caso, são duas lâminas de vidro comum texturizado, fumê ou mesmo temperado, coladas por uma película de PVB (Polivinil Butiral), geralmente incolor, tendo uma característica diferente de segurança: as peças se quebrarem, ficam coladas na película, evitando que se espalhem pelo chão. O custo do vidro laminado também é um pouco maior que o temperado, porém é mais adequado em algumas situações.

Assim como o vidro temperado, no entanto:

  • Tem pouca resistência a impactos frontais em relação ao vidro temperado.

Vidro, em geral, por ser um material sensível exige quase sempre mão de obra especializada para a sua instalação. Os cuidados devem ser tomados desde antes do processo de fabricação, durante o transporte, o armazenamento das peças e a posterior instalação, para evitar quebras, rachaduras, lascas ou outros tipos de intempéries que possam afetar o material.